Resident Evil 7

Após o lançamento de Resident Evil 6, o produtor Masachika Kawata observou que na Capcom havia discussões internas sobre a direção do próximo capítulo da série. Os funcionários reconheceram que a escala do último jogo, que teve ataques de bioterrorismo acontecendo em todo o mundo, tinha crescido de mais e como resultado o que fazia a série especial foi perdido. Para recuperar isso, o chefe de Kawata, Jun Takeuchi, solicitou que a série fosse "despojada ao seu núcleo"; horror. Os desenvolvedores perceberam que dimensionar o jogo de volta para um local e utilizando uma perspectiva de primeira pessoa para imergir os jogadores nos ambientes seria a melhor maneira de conseguir isso.

O desenvolvimento começou por volta de fevereiro de 2014. Embora existam conexões com os jogos anteriores, Resident Evil 7 apresenta um novo elenco de personagens. O título, que pela primeira vez traz os dois nomes da série — "Resident Evil" (versão internacional) e "Biohazard" (versão japonesa) — foi dito ser uma pista para os acontecimentos do jogo. Ele foi construído sobre um novo motor, chamado RE Engine, que inclui ferramentas de desenvolvimento em realidade virtual. A Capcom já havia testado o recurso na E3 de 2015, permitido aos jogadores jogar uma demonstração chamada KITCHEN, que foi bem recebida. Resident Evil 7 estava em desenvolvimento muito antes de KITCHEN, com este último servindo de oportunidade para os criadores avaliarem como o RE Engine e as suas capacidades de realidade virtual seriam recebidos pelo público. Como uma dica para a relação da demonstração com Resident Evil 7, o logotipo de KITCHEN tinha a letra "T" projetada com uma pequena diferença para que ela parecesse um "7", mas Kawata disse que passou despercebido. Quatro meses depois, no relatório anual integrado da empresa, afirmou-se que a primeira divisão de desenvolvimento, a divisão de desenvolvimento de Resident Evil da Capcom, estava apostando na criação de experiências para o mercado de realidade virtual. Estes incluíram tanto um novo motor gráfico e jogos para a oitava geração de consoles.

Em entrevistas após o anúncio do jogo na E3 2016, o diretor do jogo foi revelado ser Koshi Nakanishi, que dirigiu Resident Evil: Revelations, e a equipe de desenvolvimento é exclusivamente da Capcom Japão, totalizando cerca de 120 desenvolvedores. No entanto, pela primeira vez na série, o escritor é um ocidental, Richard Pearsey, escritor dos dois pacotes de expansão de F.E.A.R. e um dos escritores de Spec Ops: The Line. Nakanishi disse que jogou "todos os jogos de horror em primeira pessoa, como [...] Outlast", e decidiu em contrastar com eles, para ter armas que o jogador pode usar para lutar contra os inimigos. Na versão Pro do PlayStation 4, o jogo terá suporte a resolução 4K e capacidade de high dynamic range. Quando Resident Evil 7 foi anunciado, o desenvolvimento já estava com 65% completo.

Alguns dos modelos de criatura em Resident Evil 7 foram criados pela primeira vez em forma física - um número deles de carne real - por maquiadores, para depois serem digitalizados através do emprego de fotogrametria. Esta tecnologia desenvolvida consumiu mais da metade dos ativos gerais do jogo, mas apresentou um problema na escolha da Louisiana como cenário, porque sua demanda considerável de equipamentos tornou-se inviável para o transporte, o que exigiu a Capcom modelar a mão.

Deixe um comentário

Seu e-mail não vai ser publicado.